Category Archives: Série: cultura de plástico

Se fosse prioritária não seria deixada ao cuidado do estado

As necessidades prioritárias de cada um podem ser deduzidas das respectivas escolhas. As necessidades podem ser divididas em dois grandes grupos: aquelas coisas que as pessoas querem ter independência para fazer pelos seus próprios meios e aquelas coisas que as pessoas esperam que sejam feitas por outros com recursos públicos. As primeiras são aquelas que […]

Isto sim é Cultura

Tirado da Baixa do Porto.

Leitura recomendada

Cultura e Estado numa sociedade livre por André Azevedo Alves no Insurgente.

Esquerda de plástico

Não percebo muito bem qual é o argumento de esquerda a favor da subsidiação de coisas como o “Teatro Plástico”. Trata-se de dinheiro pago pela população em geral, o que inclui os mais pobres, para subsidiar uma actividade promovida pelas “elites” a que só assistem os membros das mesmas “elites”. Qual é exactamente o valor […]

A tarefa sempre inacabada de educar os públicos

Se calhar chegou o momento de se avaliar o impacto da política de formação de públicos que os defensores da cultura subsidiada tanto defendem. Ao longo dos anos foram delapidados milhões em subsídios. Já seria altura de aparecerem resultados. No entanto, não se percebe como é que determinadas actividades culturais poderão contribuir para a formação […]

Os inimputáveis

Como bem nota JPP (leitura recomendada), a definição de cultura defendida por determinados artistas foi concebida para que se torne impossível qualquer avaliação dos resultados. A cultura é definida como aquilo que os artistas fazem, aquilo que os artistas consideram que tem valor, algo de intangível que não se pode pôr em causa e algo […]

Visão economicista da cultura

“Subsídio à cultura” e “cultura” são sinónimos? Lendo-se o que alguns críticos do liberalismo escrevem parece que sim. Ao que parece quem é contra o “subsídio à cultura” só pode ser contra a “cultura”. Ora esta tese só é defensável se se pensar que “cultura e “subsídio à cultura” são a mesma coisa. Esta identidade […]

Como sempre, o público ficou em casa

Concentração de solidariedade aos ocupantes do Rivoli reúne cerca de 100 pessoas em Lisboa Cem pessoas ligadas à cultura concentraram-se cerca das 20h00 frente ao Teatro de São Luís, Lisboa, a manifestar solidariedade ao grupo que ocupou durante três dias o Teatro Rivoli, no Porto, para protestar contra a privatização da gestão deste espaço. A […]

O dia amanheceu calmo, embora chuvoso

O Porto aguentou 3 dias sem a cultura produzida no Rivoli. A população manteve-se calma e sem sinais de dependência. Não se registaram motins. Os especialistas garantem que as elevadas doses de cultura que os portuenses têm consumido não provocaram qualquer tipo de habituação.

Confusão entre actividade cultural e equipamento cultural II

Respondendo ao Daniel Oliveira: 1. O Rivoli é propriedade municipal. Já era antes das obras de remodelação pelo que é a Câmara do Porto quem tem legitimidade para o gerir. Se existe um protocolo entre o estado central e a câmara, então o estado central é quem tem obrigação de exigir o seu cumprimento. Até […]

Confusão entre actividade cultural e equipamento cultural

É muito significativa a persistência dos agentes culturais, e do editorialista do Público de hoje, na associação entre promoção da cultura por parte do estado e gestão dos equipamentos culturais. Não se percebe o que é que uma coisa pode ter a ver com a outra. Ou antes, até se percebe. Teme-se que a boa […]

Paternalismo cultural

Nestas coisas da cultura há uma expressão que é todo um programa: “a formação de públicos”. Trata-se do reconhecimento de que a cultura que é feita não tem público pelo que a solução não é mudar a cultura que se faz mas sim mudar o público.

Borlistas

Pelas minhas contas os okupas do Rivoli já devem 3 sessões à bilheteira.

Centralismos

Rivoli: ministra exige “garantias de que seja salvaguardado o serviço público” Expliquem ao autor da notícia ou à ministra que o Rivoli é um teatro municipal. A ministra não está em posição de exigir o que quer que seja.

Contra a gestão privada, ou a favor do subsídio encapotado?

Rui Rio decidiu privatizar a gestão do Rivoli. Note-se que decidiu privatizar a gestão e não o Rivoli. As reacções das elites do Porto são muito esclarecedoras. Em primeiro lugar, ficamos a perceber que o Rivoli é mal gerido e que andava muita gente a viver dessa má gestão. Ficamos ainda a perceber que a […]