Category Archives: Hayek

O catolicismo é apenas uma religião

Pedro Arroja tem vindo a explicar porque é que um sistema político baseado nos princípios do catolicismo seria um fracasso. É que tal sistema teria que se basear num sistema centralizado dirigido por uma autoridade iluminada que, caso fosse contestada com argumentos racionais, perderia toda a aura mágica que a sustenta. Ora, dado que o […]

PLANIFICAÇÃO – 1

«A característica comum a todos os sistemas colectivistas pode exprimir-se numa frase que suscita a aceitação cordial dos socialistas de todas as escolas: consiste ela na organização racional de todas as actividades de uma sociedade com vista a uma determinada finalidade social. Uma das principais críticas socialistas à nossa sociedade incide por conseguinte na ausência […]

Suíça: "In the name of God Almighty!"

“In the name of God Almighty! We, the Swiss People and the Cantons, being mindful of our responsibility towards creation, in renewing our alliance to strengthen liberty and democracy (…)”. (Preâmbulo, Constituição Helvética). É um pequeno país em extensão territorial, menos de metade de Portugal, equivalente à nossa região Norte, e com apenas 7 milhões […]

there never was on this earth

Para todos aqueles que, como eu, consideram Hayek o mais respeitável liberal do século XX, é apenas de esperar que, levados por um natural espírito de curiosidade, procurem indagar quais os autores que Hayek – ele próprio – considerava os mais respeitáveis liberais.### A resposta a esta questão é dada no seu célebre ensaio Why […]

instituições sociais espontâneas

Lamento, caro Pedro, mas a Igreja Católica não é uma «instituição espontânea» da ordem social. Ela é, pelo menos para os crentes, o produto directo da intervenção divina na ordem humana, instituída pelo filho de Deus e fundada pelo seu discípulo Pedro. Assenta num Livro sagrado, que é, para quem acredita, a revelação da própria […]

noutro lugar

Ao longo dos últimos anos, eu tenho vindo gradualmente a perder alguma consideração intelectual pelos autores que no século XX emergiram como os ícones do liberalismo. Refiro-me, no campo da economia que é o meu, a autores como Ludwig von Mises e Friedrich Hayek (líderes, em sucessão, da chamada Escola Austríaca), Milton Friedman (líder da […]

Liberalismo-democrático

A sociedade que os liberais clássicos defendem não é a democracia-liberal, mas o liberalismo-democrático. Esta é uma sociedade que coloca a liberdade à frente da democracia, e o individualismo à frente da igualdade.### Nesta sociedade, o individualismo é assumido como valor primeiro – um individualismo definido no sentido de Hayek ou mesmo na versão heróica […]

em memória do general*

* Um «post» a pedido. Foi com uma tristeza imensa, só comparável à que sentiu a Baronesa Thatcher, que tive conhecimento da morte imprevista do Senhor General Augusto Pinochet.O General era homem de carnes rijas e faces rosadas, pelo que me custou acreditar que tivesse partido para o além por decisão única e exclusiva do […]

laissez-faire, laissez-passer

Cara Mafalda, Claro que o homem vive necessariamente em comunidade, por via da qual cresce e se potencia, na qual desenvolve laços, cria relações, estabelece instituições, coopera, litiga e, na medida do possível, harmoniza com o(s) outro(s) a sua existência, tendo em vista uma vida feliz e um destino melhor para si e para os […]

O "meu" Hayek

“Individual liberty in modern times can hardly be traced back farther than the England of the seventeenth century.”(The Constitution of Liberty, The University of Chicago Press, 1960, p. 162; primeira frase do capítulo 11, “The Origins of the Rule of Law”, integralmente elucidativo para a questão. Na nota a esta asserção, p. 456, Hayek refere […]

Ele tinha esta dúvida. Eu não.

“But in some respects Lord Acton was not being altogether paradoxical when he described Thomas Aquinas as the first Whig“.(F. Hayek, The Constitution of Liberty, The University of Chicago Press, 1960, p. 457, n. 4)

Pedro Arroja (2)

Mais ainda do que aquilo que terá acontecido com o Rui, devo muito a Pedro Arroja na minha “conversão” ao liberalismo. Há 20 anos era aluno de Direito e o liberalismo era-nos descrito como uma espécie de momento infantil do Estado Social logo ultrapassado pela chegada da maturidade intervencionista. Que a Liberdade individual dependia directamente […]

pedro arroja

Tive o privilégio de conhecer o Prof. Pedro Arroja há quase vinte anos atrás, no seu regresso do Canadá onde se acabara de doutorar.Na altura, já me considerava um liberal e, graças a Orlando Vitorino e a amigos que nos eram comuns, conhecia razoavelmente alguns dos autores que marcaram o liberalismo do século XX, principalmente […]

acerca do liberalismo e relações internacionais

O Bruno Cardoso Reis envolveu-se (sem se querer envolver…) numa polémica sobre o que poderá eventualmente ser uma (ou várias) visão liberal das Relações Internacionais. Com essa intenção parametrizou as posições dominantes nessa disciplina científica nas Escolas Clássica (ou realista), Neo-Clássica (ou neo-realista), Liberal e Neo-Liberal (tratando-se, aqui, do «liberalismo» norte-americano e não propriamente o […]

internacionalismo «liberal»

Esclarecendo o que entende dever ser uma posição liberal nalgumas questões de política internacional, CN informou-nos que: não aprecia Churchill, a quem imputa um «gosto por conflitos e anti-germanofilia», a ascensão ao poder do comunismo russo, do fascismo alemão e de Estaline na URSS (diz, a propósito destes “esforços” de Churchill, que «foi obra»); que […]

«guerra e paz entre as nações»

O Carlos Novais decretou que os liberais que simpatizam com a política externa intervencionista dos EUA não são nem liberais nem de direita. Vai daí e, na sequência dessa fatwa com que me remeteu para as fileiras do Bloco de Esquerda, levantou várias questões a merecerem atenção: uma sobre o pretenso «governo mundial» que resultaria […]

Feira do livro:

«Caminho para a servidão» F. Hayek«Segundo Tratado sobre o governo», John Locke«Ensaio sobre o entendimento humano» John Locke«Rosseau e outros cinco inimigos da liberdade», de Isaiah Berlin«Discurso sobre a servidão voluntária», Etienne de La Boétie«A liberdade dos antigos comparada», Benjamin Constant«Da democracia na América», Alexis de Tocqueville

pedro arroja

Tive o privilégio de conhecer o Prof. Pedro Arroja há quase vinte anos atrás, no seu regresso dos EUA onde se acabara de doutorar.Na altura, já me considerava um liberal e, graças a Orlando Vitorino e a alguns amigos comuns, conhecia razoavelmente alguns dos autores que marcaram o liberalismo do século XX, principalmente Hayek e […]

É HOJE !

As Edições Praedicare convidam para a sessão de lançamento do livro de André Azevedo Alves Ordem, Liberdade e EstadoUma reflexão crítica sobre a filosofia política em Hayek e Buchanan a ter lugar no Rivoli (Cafetaria-Bar, 3º piso) no Porto, hoje, 12 de Abril, às 21.30, com apresentação de Paulo Castro Rangel e Rui de Albuquerque. […]

AMANHÃ não esquecer

As Edições Praedicare convidam para a sessão de lançamento do livro de André Azevedo Alves Ordem, Liberdade e EstadoUma reflexão crítica sobre a filosofia política em Hayek e Buchanan a ter lugar no Rivoli (Cafetaria-Bar, 3º piso) no Porto, no próximo dia 12 de Abril de 2006, às 21.30, com apresentação de Paulo Castro Rangel […]