Author Archives: RAF

rivolução! daqui não saio! daqui ninguém me tira!

### os senhores foram okupados! como ninguém lê o meu blogue – as visitas só nos dias bons ultrapassam os duzentos visitantes (em geral graças aos links dos amigos com espaços mais dinâmicos; ainda assim, um pouco acima da média dos 30 espectadores por dia do “teatro plástico”) – decidi que só regresso ao blue […]

RAF lança-se numa carreira a solo

Após vários meses como baterista do Blasfémias, decidi que estava na hora de me lançar numa carreira a solo, ou eventualmente mudar de banda. Guardo já com saudade as várias tournées que fizemos por este país fora, as sessões de leitura de Hayek – sem c -, as ovações e os insultos do público. Mas, […]

PÚBLICO PEDIDO DE DESCULPAS À SRª DRª CONSTANÇA CUNHA E SÁ – II

Subscrevo integralmente o post do Rui. O Blasfémias é um blogue digno onde se procura, de uma forma descontraída, debater ideias. No calor da campanha, o CAA teve a infelicidade de publicar um post que ultrapassa os limites do aceitável. Quanto tal acontece, o que as pessoas dignas fazem é pedir desculpa, sem reservas. Ninguém […]

«Falar sobre Blogues», na Almedina – para desanuviar o clima

Este post foi temporariamente suspenso. Regressa em momento mais oportuno, brevemente. Rodrigo Adão da Fonseca

A minha declaração de voto

No Pulo-do-Lobo. Rodrigo Adão da Fonseca

Sobre o conceito de inovação e as virtudes da análise do processo na Escola Austríaca

Caro LAC-C, Apesar de ser jurista, li com atenção este teu post, seguindo o link do JM. O seu título – Coordenação privada e intervenção estatal. Socialismo, mercado e cooperação ou a Economia enquanto ciência moral – aponta para uma brilhante e dedutiva explicação do fenómeno da utilização eficiente do famoso «vaso» por ambos os […]

Estrela da Manhã

Este fim-de-semana o país mediático foi surpreendido com a enorme manifestação de Fé que centenas de milhares de portugueses, em silêncio, ao som da música, ao ritmo da oração, decidiram trazer para as artérias de Lisboa. Num mundo cada vez mais incerto, jovens e velhos, ricos e pobres, de todas as origens, buscam na simplicidade […]

Viagem sem Regresso

Recordo minuto a minutoa tomada da Bastilhao vento fingindo ser naturalo interior ressequido das palavrase o Sena que me olhaenquanto corre para o mar. Quadros da história de um país desconhecidomães inúteisparindo nuvens. Da luao espesso veludoenvolve-nos.E as mãos que descem como gotas da chuvaarrasam cidades. No espaço imensoo que não está por acasoestá por […]

«Parlamentarização do Regime» – II – Mário Soares ou o «eclipse Presidencial»

Na discussão do OGE no Parlamento, ontem, José Sócrates apresentou-se com uma veste de «Estatista», no mau sentido do termo, «senhor» da «sua» maioria absoluta, fazendo uso de expedientes retóricos e de uma manifesta arrogância nas respostas à oposição, impondo-se com «piadinhas», trocadilhos e «sorrisinhos» pouco apropriados para quem gere um país à deriva. José […]

Posts austríacos III

Um excelente post na Bomba Inteligente, onde Hayek se apresenta em grande forma. Rodrigo Adão da Fonseca

Razão pela qual retirei o meu post anterior

Retirei o post que tinha escrito em resposta ao CAA porque na Caixa de Comentários surgiram alguns registos demasiado indignos e para os quais eu não tenho estômago. O meu espírito pluralista nesse plano é limitado, não acomoda certo tipo de insinuações e afirmações como as que foram colocadas nas Heresias. Eu escrevo no Blasfémias […]

Posts Autríacos II

“Podemos lamentar-nos contra a injustiça quando uma sucessão de calamidades impende sobre uma família, enquanto uma outra prospera a um ritmo firme e sólido, quando um esforço meritório é frustrado por um acidente imprevisível, e particularmente se num universo de várias pessoas cujos esforços são idênticos, uns atingem brilhantemente o sucesso enquanto outros falham rotundamente. […]

Eixo do Mal ou como viver amarrado no complexo ideológico

Ainda ninguém me viu comentar aqui no Blasfémias os acontecimentos de França. Em grande medida, porque ainda estou a tentar perceber bem o que lá se passa. O que temos assistido é à revolta de um conjunto de pessoas contra algo que ainda não se sabe bem o que é. Serão actos de mera delinquência? […]

Posts Austríacos I

A ideia de cooperação é apresentada com frequência como uma realidade localizada, apenas existente no âmbito da actividade empresarial; a cooperação tem, nesta forma de ver as coisas, uma dinâmica muito própria, pertence ao universo do «capitalismo» a que os cidadãos comuns apenas têm acesso no quase passivo papel de «consumidores» (cf. aqui e, sobretudo, […]

De Hobbes a Kirzner e Buchanan (revisto)

Partindo da discusssão do Rui Albuquerque e do Henrique Raposo a propósito de Maquiavel, derivei o tema para um aspecto que me interessa particularmente e que é a ideia de cooperação, tendo lançado um desafio ao LA-C, ao AAA e ao Tiago Mendes. O André Alves, blogosfericamente conhecido pelo «Triple A», ou simplesmente AAA, contribuiu […]

«Os limites do consenso», no DE

Nada é mais natural num debate que discordar. O problema não está aí. Está antes em não se aprofundar essa discordância. Em não se fazer um esforço para que ela possa ser “mutuamente compreendida”. Hoje o interesse numa discussão reside mais em saber quem a “vence” do que em esclarecer o “porquê” das divergências. Seja […]

Cooperação, por Tiago Mendes

O Tiago Mendes gentilmente respondeu ao meu desafio (obrigado, grande Tiago, pelo excelente contributo) e publicou no seu blog Aforismos & Afins um interessante post sobre a ideia de cooperação, reforçado ainda por um conjunto de sugestões de leitura: Cooperação: Caro RAF: no seguimento da tua digressão (e do teu repto), diria que a cooperação […]

Vacuidades do discurso da Nova Esquerda – follow up

Meus caros, Fico verdadeiramente surpreendido com a capacidade que alguns demonstram na caixa de comentários a este post abaixo ao conseguir relacionar «Democracia» com «Mercado». Democracia é apenas o modo como escolhemos os nossos governantes. Mercado é o ambiente onde se efectuam trocas. A associação destas duas realidades visa apenas criar uma espécie de «demonização» […]

Vacuidades do discurso da Nova Esquerda

Joana Amaral Dias, nos Bichos Carpinteiros: «O discurso de Cavaco em torno da despartidirização e despolitização é, de facto, coerente com a hegemonia do mercado. Esta constitui-se não como um complemento à democracia, mas como uma alternativa à mesma. Quando o consumidor toma o lugar do cidadão não são necessárias decisões políticas.E aí todos os […]

OPTIMISMO E PESSIMISMO: ESQUERDA E DIREITA – ligeiro contributo de RAF

Caro Rui, Um excelente texto o teu, sem dúvida; existe um aspecto que – não discordando do que escreveste – penso merecer alguma discussão adicional. O liberalismo que apresentas tem da natureza humana uma visão realista, mas de um realismo que me parece subtilmente pessimista: Sendo certo que o liberalismo reconhece a finitude e a […]