Nunca digas ‘jamé’

Graças a Cavaco Silva, o Governo recuou na regra do ‘falta e passa’ em que a ministra da Educação se tinha obstinado. Há muito que o esforço do aluno deixou de importar na educação. O ‘eduquês’ e os rankings do insucesso escolar fizeram a lógica da escola que temos. A verdade sobre o Estatuto do Aluno é aterradoramente simples: destinava-se a baixar as estatísticas das reprovações e do abandono escolar. Artificialmente. Para ‘inglês ver’. O bom senso, esse inimigo figadal das teorias da educação, fez com que os deputados socialistas (e Cavaco) atalhassem as intenções ministeriais.
Entretanto, um estudo sério veio comprovar que Alcochete será um aeroporto mais viável, com vantagem na capacidade de crescimento e muito mais barato (três mil milhões de euros) do que a ‘negociOta’ que quase nos impingiram. Desde 2005, esse “compromisso pessoal” de Mário Lino foi tão mal conduzido pelo próprio que se o futuro aeroporto ficar em Alcochete merecia ser alcunhado com o seu nome. Mas, tal como Maria de Lurdes Rodrigues, também Mário Lino recuará jurando que nunca quis dizer aquilo que disse.
Já António Guterres se notabilizou por anunciar medidas das quais fugia mal raiava alguma contestação. Essa tendência, o ‘guterrar’, começou a ser imitada pelo actual Governo. Sócrates queria ser o anti-Guterres mas o ADN político tem muita força. As sondagens e os primeiros sinais do fim do ciclo socrático evidenciam um eterno retorno ao estilo do ‘guterrar’.

* ‘Heresias’, publicado no Correio da Manhã de domingo

Anúncios

Publicar um Comentário

Required fields are marked *

*
*

%d bloggers like this: