Só um comentário

Coitado, os 8 anos por cá não chegaram para perceber que, nalguns países da Europa do Sul e da América Latrina, há um modo muito “católico” de lidar com estes problemas: em vez de desesperar fatalmente, o alemão deveria ter dado o envelopezinho a quem lhe resolvesse o assunto por debaixo da mesa. E tudo ficaria abençoado…

Publicar um Comentário

Required fields are marked *

*
*

%d bloggers like this: