Wood

Não aprecio Jardim. Festejarei no dia em que os eleitores da Madeira se fartarem dele.
Sou favorável a um referendo no continente para se dar, ainda que unilateralmente, independência á ilha.
Mas Jardim fez bem: ele tinha-se comprometido a gastar uma determinada porção de dinheiro do contribuintes do continente em favor dos ilhéus. Mudaram-lhe (e bem) as regras impedindo-o de cumprir o seu contrato com os eleitores. Lança-se agora a novo mandato para a realização de um novo contrato eleitoral. Tá bem.

Anúncios

Publicar um Comentário

Required fields are marked *

*
*

%d bloggers like this: